Anúncio de Cabeçalho

test

Veja como os aparelhos se adaptaram às mudanças do comportamento e das necessidades do consumidor

A EVOLUÇÃO DOS CELULARES:
Há 30 anos, pensar numa maneira simples e barata de se comunicar com alguém do outro lado do mundo parecia impossível diante das limitações tecnológicas da época. No começo da década de 1980, o planeta via a popularização do walkman e do videocassete, enquanto o Brasil vivia o fim do regime militar e se encantava com as telenovelas em cores.

O COMEÇO DA TELEFONIA MÓVEL
A grande revolução na telefonia móvel começou em 1973. Neste ano, foi realizada a primeira ligação de um celular, no dia 3 de abril, em Nova York. Na época, não era concebível a ideia de que a tecnologia seria incorporada rapidamente ao mercado, já que, para isso acontecer, as empresas de telefonia precisariam se adaptar a este novo conceito.

O MODELO PIONEIRO
O primeiro celular chegou de fato às lojas apenas em 1983, custando exorbitantes US$ 3995 (aproximadamente R$ 12.800, sem levar em conta a inflação e usando a cotação atual do dólar). O DynaTAC 8000X, da Motorola, pesava mais de 500 gramas e media 33 centímetros. A bateria do telefone durava oito horas em standby e suportava apenas uma hora de conversas.

OS "TIJOLÕES"
Os primeiros aparelhos não eram exatamente portáteis, por serem grandes e pesados. A ideia, na época, é que os telefones móveis seriam utilizados em carros, uma tecnologia considerada top de linha ainda em meados dos anos 90. Ainda assim, a indústria logo percebeu que os consumidores preferiam aparelhos cada vez menores, mais leves e ágeis.

MICROTAC 9800X
A Motorola colocou essas ideias em prática. Em 1989, a companhia lançou o MicroTAC 9800X, uma versão menor do antecessor DynaTAC, vendido como um celular de bolso. Ele era 11 centímetros menor e pesava 382 gramas. Seu design era de vanguarda: o modelo tinha a frente flip, que ficaria muito conhecida nos anos 1990.

O PAI DOS IPHONES
Se você acha que touchscreen e sistema operacional são invenções recentes, está enganado. Considerado o pai dos smartphones, o Simon, lançado em 1994, por meio de uma parceria entre IBM e Mitsubishi, já tinha essas tecnologias. Mesmo custando US$ 579 (aproximadamente R$ 1860, na cotação atual do dólar), bem mais barato que os primeiros modelos de celular, o Simon não fez muito sucesso e saiu de linha em 1997.

MENSAGENS DE TEXTO
Para atrair novos clientes com rotinas cada vez mais corridas, as empresas precisaram se adaptar às novas realidades. Não dá para imaginar um celular hoje sem a função de mandar mensagens de texto, né? No entanto, os SMS só surgiram em 1993, na Finlândia, e apenas funcionavam em celulares compatíveis com a tecnologia.

DESAFIOS NO BRASIL
Enquanto os Estados Unidos e os países europeus incorporavam rapidamente os novos modelos, o Brasil ainda tinha uma indústria muito atrasada. O número de telefones portáteis era ínfimo e até mesmo o processo para conseguir um número de telefone fixo era demorado e burocrático.

INTERNET WAP
Em 1997, a Nokia lançou o modelo 7110, utilizado pelo personagem Neo no filme "Matrix". O telefone tinha como diferencial o slide e o acesso à internet. Dois anos depois, outra importante evolução: surge o primeiro aparelho com câmera digital e tela colorida. O J-Sho4, da Sharp Corporation, era pequeno e com uma antena bem menor que seus antecessores, mas foi lançado apenas no Japão.

TECLADO QWERTY
Já nos anos 2000, a BlackBerry lançou um modelo que trazia uma inovação que se tornou bastante popular e foi copiada por outras empresas do ramo. O BlackBerry 5810, de 2002, tinha teclado QWERTY, o layout utilizado nos teclados de computadores, o que sedimentou os telefones da empresa como o grande gadget do mundo corporativo no começo dos anos 2000.

NOKIA 1100
No ano seguinte, a Nokia transformou o mercado mais uma vez com o lançamento do 1100, teve mais de 250 milhões de aparelhos vendidos, um recorde na indústria. O modelo era bem simples, mas ajudou a popularizar o celular no Brasil e em outros países emergentes devido a seu preço baixo.

ENTRETENIMENTO NA TELA DO CELULAR
A partir daí, os celulares deixaram de ser apenas aparelhos voltados para a comunicação e ganharam funções de entretenimento, com jogos, toques monofônicos e polifônicos, tocadores de áudio e rádios. Depois, aparelhos com telas coloridas começaram a se tornar o padrão do mercado, trazendo com eles as mensagens multimídia, câmeras cada vez mais modernas, conexão com a internet e players de música.

IPHONE
Em 2007, uma das maiores inovações da indústria mudou todos os padrões telefônicos conhecidos até então. O iPhone foi lançado pela Apple em 2007, e vendido como um aparelho que reunia as funções do iPod e de um celular em um lugar. Em 2008, a empresa lançou um novo modelo, o iPhone 3G, já integrado com a internet 3G e capaz de realizar chamadas em vídeo.

INTERNET 3G
Hoje em dia, as redes 3G se tornaram indispensáveis. As empresas de telefonia perceberam essa mudança do mercado e incorporaram a tecnologia nos aparelhos. Os lançamentos se tornaram cada vez mais sofisticados, com novas funcionalidades, transformando o celular em muito mais do que uma ferramenta de comunicação.

SMARTPHONES
Entre os smartphones, o iPhone liderou sem forte concorrência até 2012 - posicionado como uma alternativa muito mais moderna aos Blackberries, que seguiram reinando entre executivos e empresários - quando a Samsung lançou o Galaxy S III no mercado, um aparelho que teve mais de 60 milhões de unidades vendidas e ajudou a consolidar a empresa como a principal concorrência da Apple, com maioria de usuários em diversos territórios, como Índia, França, Alemanha e Reino Unido. Atualmente, o mercado é bastante diversificado, com smartphones de empresas como Microsoft, Sony e Motorola disputando espaço nos bolsos dos consumidores.

SISTEMAS OPERACIONAIS E APLICATIVOS
A tecnologia dos smartphones ajudou ainda mais a transformar os celulares em verdadeiros computadores de bolso. Os sistemas operacionais Windows Phone, iOS e Android permitem baixar milhares de aplicativos, gratuitos e pagos, desde jogos ultramodernos até apps para edição de fotos e organização da vida financeira. Dá para acessar o Facebook, o Twitter e até mesmo a conta bancária sem precisar de um computador, apenas utilizando uma conexão Wi-Fi ou 3G.

LIGAÇÕES DE GRAÇA
Os aplicativos também têm sido responsáveis por algumas mudanças significativas na telefonia móvel. O Facebook e o WhatsApp inovaram ao possibilitar ligações gratuitas para qualquer usuário, uma revolução que ameaça o modelo tradicional de telefonia, que ainda cobra altas taxas para ligações de longa distância, especialmente no Brasil.

FOTOS QUASE EM HD
As câmeras dos celulares passaram a substituir também as máquinas fotográficas digitais. Com várias funções e configurações, além de ótima qualidade de imagem, os celulares são bem mais fáceis de carregar por aí e ainda permitem que as imagens sejam compartilhadas na internet com muito mais facilidade.

GRANDE É O NOVO PEQUENO
Enquanto nos anos 80 e 90 a grande tendência era o encolhimento dos celulares, agora a indústria parece estar focada na expansão dos aparelhos, que acomodam telas cada vez maiores. Modelos como os Xperia e os Galaxy, da Sony e da Samsung, respectivamente, já chegaram a telas de cinco polegadas. Até mesmo a Apple, que até o iPhone 5S parecia alheia a esta tendência, resolveu aderir: O iPhone 6 Plus tem uma tela de 5,5 polegadas.

O FUTURO DA TELEFONIA MÓVEL
É difícil de adivinhar, em termos de inovação, o que as empresas vão fazer no futuro. O que dá pra prever é que os celulares que virão, mais rápidos, leves e resistentes, serão consumidos aos milhões por um mercado que depende cada vez mais desses gadgets.