Anúncio de Cabeçalho

test

São presos os suspeitos de explosão de Banco

Policia Civil desarticula quadrilha envolvida na explosão do Banco do Brasil de Bom Jardim. Confira também: Após ação de bandidos agencia do BB de Bom Jardim fica parcialmente destruída (28/01/2014).

Presos os suspeitos de explosão em agencia bancaria de Bom Jardim.
Um trabalho deflagrado por equipes de investigadores da 7ª Delegacia Regional de Santa Inês, sob coordenação do delegado Valter Costa, culminou com a prisão de nove pessoas suspeitas de envolvimento em assaltos e explosão de caixas eletrônicos no interior. O bando, composto por nove maranhenses, sendo sete homens e duas mulheres, foi apresentado pelo secretário de Segurança Pública, Aluísio Mendes durante entrevista coletiva à imprensa, na manhã desta quinta-feira (20), na sede do órgão, na Vila Palmeira, em São Luís.

O grupo é apontado como responsável pelas ações criminosas nas cidades de Pio XII, na qual foram explodidos dois caixas eletrônicos do Banco do Brasil, no último dia 13, e também nos municípios de Amapá do Maranhão e Bom Jardim. A organização criminosa, segundo Aluísio Mendes, tinha um poderio de fogo bastante perigoso e o modus operandi leva a polícia a atribuir ao bando às ações criminosas nas três cidades maranhenses. Outras duas explosão de caixas eletrônicos continuam sendo investigadas pela polícia.

“Estas prisões representam mais um trabalho expressivo da Polícia Civil e mais uma prova da capacidade daqueles que compõem esta instituição. A retirada desse bando de circulação trará mais tranquilidade para a população da região de Santa Inês e municípios vizinhos”, comentou o secretário Aluisio Mendes.

Presos 
Foram detidos José Ribamar Jansen, 32 anos, Josseffer Pires Cruz, 21, Sabrina de Pamela Coelho Granja, conhecida como Amanda, 25, Elianilce Câmara Cardoso, 25, Salomão Lopes Bonfim, 52, Leandro Sousa Bonfim, 22, Francisco de Sousa Bonfim, 29, Emanuel Pinheiro Oliveira, 32 e Emerson Pinheiro Oliveira, 29.

De acordo com a superintendência de Polícia Civil do Interior (SPCI), os investigadores monitoravam a movimentação do bando. A operação teve início na noite da última terça-feira (18), em Santa Inês.

O delegado Valter Costa explicou que os criminosos foram identificados e presos a partir das investigações do assalto à residência de um empresário, na cidade de Monção, ocorrido no dia 9 de fevereiro deste ano. “Conseguimos identificar um dos integrantes do grupo pela tatuagem que ele tem no corpo, com o nome Anita. Ele foi detido ao deixar o hospital Tomas Martins, em Santa Inês, após receber atendimento depois de se envolver em um acidente de carro. O conduzimos à delegacia e uma das vítimas o reconheceu”, detalhou o delegado que coordenou a operação.

Os criminosos renderam o empresário em sua fazenda, localizada na entrada da cidade de Monção. Após anunciarem o assalto, segundo as investigações, eles levaram o dono do imóvel até sua residência, na zona urbana da cidade, e ordenaram que abrisse o cofre. Foram subtraídos cerca de R$ 40 mil reais, além de joias e aparelhos celulares.

Material Apreendido 
Durante a operação, os policiais descobriram que o bando estava realizando o transporte de todo o armamento da casa de Sabrina para a residência de Salomão. Foram encontrados dois fuzis 762, duas escopetas, duas carabinas, 46 munições de fuzil 762, um silenciador, treze bananas de dinamites, sendo duas delas grossas e prontas para ser utilizadas em explosão, dez detonadores e ainda dezoito munições de escopeta calibre 12. “Vamos aprofundar as investigações a fim de comprovar se esse armamento é oriundo do roubo do Fórum de Lago da Pedra”, completou o delegado Valter Costa.

Os membros da quadrilha foram autuados por formação de quadrilha, porte ilegal de arma de fogo de uso restrito e posse de artefato explosivo ou incendiário.

Estiveram presentes ainda o secretário adjunto de Inteligência e Assuntos Estratégicos, Laércio Costa; o Delegado Geral Adjunto de Polícia Civil, Marcos Affonso Junior; o delegado adjunto da Superintendência de Polícia Civil do Interior, Carlos Cesar Veloso.